O que é marketing para profissionais da saúde?

O marketing entrou na minha vida há mais ou menos 10 anos atrás, quando decidi estudar Comunicação na ESPM. Lá, a graduação em Publicidade e Propaganda tem ênfase em Marketing, e pode-se optar pelo foco em criação ou planejamento. Eu escolhi o planejamento.

De lá pra cá aprendi e evolui muito sobre meus conhecimentos em marketing. Fiz Pós-Graduação em Marketing, fui em muitos cursos e palestras sobre o tema, em especial sobre marketing para a área da saúde.

Infelizmente o marketing é uma área que, mesmo entre profissionais da área, tem muitos desacordos de conceitos, muitos equívocos e desentendimentos. Dessa forma, as empresas, e principalmente os profissionais da saúde, podem não dar a real importância em ter uma assessoria especializada tratando do assunto.

 

O que de fato é marketing? O que é marketing para a área da saúde?

 

1. Marketing não é só comunicação

 

Marketing tem a ver com estratégia de negócio, que inclui sim a comunicação, mas também todo o resto: o que você vende, como você vende, onde você vende, como você divulga, etc, etc… Não é “só” comunicação, como MUITOS PENSAM. É o todo do negócio. Da mesma forma, está errado falar que marketing é publicidade. Ou que comunicação é publicidade. Publicidade é tudo o que é falado sobre a sua empresa, sem que você tenha que pagar efetivamente por isso. A “mídia de graça”.

 

No campo dos profissionais da saúde, você vende um SERVIÇO de saúde. E mesmo que você seja um profissional que não possui um consultório próprio, o seu negócio é você e você vende diretamente um serviço de saúde. Você deve investir em seu marketing pessoal.

 

Independente de como a gente quer chamar, isso quer dizer que na prática TODAS AS EMPRESAS E PROFISSIONAIS DA SAÚDE aplicam o marketing, mesmo que de forma errada ou desorganizada.

 

E é aí que entra a ideia do marketing como disciplina, como área:

  • Entender sobre o negócio: quem é o profissional? Como é a especialidade? Qual é o serviço prestado? Como é?
  • Pensar em estratégias: quem são meus concorrentes? Como posso aprender com eles? O que posso melhorar? Quais meus objetivos de negócio? Qual é o meu planejamento? Quais são meus resultados? Como eu quero que sejam meus resultados?

 

Em muitas empresas a área do marketing está junto com a comercial, e realmente o que se faz é focado para venda e relacionamento com os clientes. Pode ser daí que venha toda essa confusão de que marketing é publicidade. E também, a maioria dos fracassos. Sem entender o produto/serviço, sem pesquisar, entender o cliente, revisar estratégias de atendimento, serviço, produtos, preço… o acerto em estratégias de marketing com foco pra venda pode ser um mero acaso.

 

E isso para um profissional da saúde pode significar:

  • Pouca autoridade
  • Poucos pacientes
  • Desorganização do negócio

 

2. Marketing na teoria é BEM diferente da prática

 

INFELIZMENTE muita coisa que se aprende fica na teoria. Eu perdi as contas de quantos cursos, livros, artigos eu já li sobre marketing e estratégia e quantas vezes tentei seguir a “receita de bolo” até o fim sem ter êxito. Na prática, e principalmente no contexto que eu atuo – pequenas empresas, muita coisa que a gente aprende em marketing fica apenas no sonho.

 

No final das contas o que todo mundo precisa no final do mês é “pagar as contas”, então muita coisa fica pela metade. Muita ação muda do dia para a noite, muita ideia nova pode surgir sem planejar, muita coisa pode dar errado, ou muitas podem dar certo sem mensurar. Tudo isso misturado com pouca verba, pouco tempo e – principalmente – com pouca equipe pra pensar e executar. Eu diria que boa parte das pequenas empresas, talvez a grande maioria, não tem um setor pra pensar o marketing, nem uma agência ou assessoria, ou mesmo um TEMPO para dedicar exclusivamente pra isso. E se formos pensar nos profissionais de saúde, então…

 

 

Muitos dos clientes que já atendi não vêem a si próprio como um negócio e não dedicam nenhum tempo da semana para pensar o negócio. Como está? Pra onde ir? O que fazer?

 

Isso, quando está tudo bem, com pacientes e agenda lotada, é ok. Mas a gente nunca sabe o dia de amanhã e nem o que os nossos concorrentes estão fazendo.

 

3. Conseguir bons resultados de marketing não é fácil!

 

O marketing é incansável e nunca pára. E não tem fórmula perfeita. É criar, é organizar, é executar, é acompanhar os resultados. É errar, aprender, tentar de novo e acertar. Principalmente agora, com todos os novos recursos de comunicação e tecnologia que surgem e acabam do dia pra noite, a roda literalmente não pára. É a estratégia de conteúdo, é o post exclusivo pro feed do Instagram, outro pros Stories, é atender bem o paciente em todos os momentos, no telefone, no e-mail, é descobrir um novo procedimento e divulgar, é responder no WhatsApp, é aprender sobre WhatsApp business, é treinar bem a equipe, é pensar na music brand do consultório…

 

Não é fácil. E principalmente pra aqueles que não dedicam o tempo suficiente pra isso ou não tem um suporte como a Think Saúde para ajudar a pensar.

 


 

 

Espero ter explicado um pouco mais sobre o que é o marketing e sua aplicação para negócios da saúde.

 

Um abraço e até mais!

nicole@thinksaude.com.br

Sócia-fundadora da Think Saúde, Nicole Simonato é publicitária, designer e pesquisadora e atua com a coordenação e execução de projetos multidisciplinares relacionados à marketing, comunicação e design. Mestre em Design Estratégico pela Unisinos, possui pós-graduação em Marketing, especialização em Marketing para a Área da Saúde e graduação em Comunicação com ênfase em Marketing, ambos pela ESPM-Sul.